segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Uma mutação asiática protege contra a malária


Uma mutação comum no sudeste da Ásia, que causa anemia também oferece proteção contra a malária, segundo um novo estudo.

Os cientistas já sabem que a longa batalha dos humanos contra a malária moldou nosso genoma. Um terço dos africanos subsaarianos, por exemplo, carregam uma mutação que causa a anemia falciforme, mas que também protege contra a malária: As hemácias em forma de foice (falciforme) impedem que o parasita da malária entre. Os pesquisadores identificaram outras mutações com essa, mas quase todas protegem apenas contra o Plasmodium falciparum, parasita transmitido pelo mosquito Anopheles, que mata mais de um milhão de pessoas anualmente.


No presente estudo, o geneticista Anavaj Sakuntabhai do Instituto Pasteur de Paris e seus colegas examinaram uma mutação no gene que codifica a glicose-6-fosfato desidrogenase (G6PD), uma enzima que ajuda a proteger as células dos danos causados pelos radicais livres. Mutações na G6PD podem causar icterícia nos recém-nascidos, anemia pós-infecção de certos patógenos, e outros problemas. Algumas dessas mutações são muito comuns em determinadas áreas, incluindo partes da Ásia e África. Assim, os pesquisadores possuem fortes suspeitas que essa mutação pode ter um lado bom - talvez gere proteção contra a malária, dado que a G6PD é importante nas células vermelhas do sangue. Mas os estudos sobre o P. falciparum na África não obtiveram uma ligação convincente.


O grupo de Sakuntabhai voltou sua atenção para a Tailândia, onde o P. falciparum e seu primo menos conhecido, o P. vivax, causam a malária. A equipe focou seu estudo numa mutação do G6PD apelidada de Mahidol. Sakuntabhai e seus colegas realizaram um estudo genético de 384 pessoas - a maioria deles pertencentes a um grupo étnico chamado de Karen - no distrito de Phung Suan na Tailândia, onde a malária é prevalente. A freqüência da mutação Mahidol foi de 24%, e usando um teste chamado intervalo haplótipo - uma técnica que ajuda a rastrear a mutações recente no genoma - a equipe descobriu que a seleção natural de fato havia favorecido a mutação, a cerca de 1500 anos atrás. Os cientistas pensam que a malária se espalhou juntamente com a agricultura humana, que criou pequenos charcos de água parada, onde os mosquito utilizavam para reprodução.

Nos estudos clínicos, a equipe mostrou que a mutação Mahidol realmente faz a diferença. Ao longo de um período de 7 anos, as pessoas com a mutação tinham aproximadamente o mesmo número de episódios de malária, comparados a não portadores desta mutação; mas a mutação diminuiu o número de P. vivax em seu sangue. As mulheres que tinham uma cópia do gene tiveram 30% menos parasitas, aquelas com duas cópias tinham 61% menos. Como o G6PD está no cromossomo X, os homens podem ter no máximo uma cópia, apresentando 40% menos parasitas do que os controles. "O parasita não tem sucesso, não consegue crescer também", diz Sakuntabhai. Mas o Mahidol não tem efeito sobre os números de P. falciparum.

P. vivax
não é um assassino tão eficiente como o P. falciparum, e hoje a maioria das pessoas podem comprar drogas para tratá-lo. Mas no passado, as pessoas teriam sofrido com os repetidos e duradouros ataques de P. vivax. As reduções na densidade dos parasitas observadas no portadores de Mahidol podem ter prolongado consideravelmente a vida dessa pessoas, o que permitiu-lhes terem mais filhos.


Sakuntabhai
acrescenta que, mesmo hoje, o P. vivax pode ser um problema de saúde maior do que se tem notícia. Um estudo publicado no ano passado na revista PloS Medicine mostrou que o P. vivax mata muitas crianças na Papua Nova Guiné, podendo causar anemia mais de um mês depois da infecção. "O conselho é, não devemos subestimar P. vivax, e sim estudá-lo cada vez mais".


By Martin Enserink ScienceNOW Daily News 11 December 2009

perda de gene, GANHO DE PESO!


A obesidade é uma doença de excessos, mas um novo estudo sugere que em alguns pacientes obesos está realmente faltando alguma coisa - um pedaço de um de seus cromossomos. A perda pode remover um gene que ajuda o organismo a controlar o açúcar no sangue e o apetite.

A obesidade ocorre em famílias, e os pesquisadores identificaram diversas variantes genéticas que parecem aumentar as probabilidades de se tornarem obesos. No entanto, essas variantes só explicam uma minoria dos casos. Na última década, os pesquisadores descobriram que as diferenças genéticas entre pessoas, podem resultar da perda ou duplicações de regiões cromossômicas, chamadas de variantes do número de cópia (CNVs). Por causa das CNVs, por exemplo, você e seu vizinho podem possuir diferentes números de cópias de genes específicos. Estudos anteriores apontaram a presença das CNVs em doenças como o autismo e retardo mental ou como causa de dificuldades de aprendizagem. Pacientes autistas, por vezes, têm um segmento extra do cromossomo 15 ou ausência de uma parte do cromossomo 16. Tais pacientes estão frequentemente acima do peso, sugerindo uma ligação entre CNVs e o peso.

Para estabelecer esta ligação, Sadaf Farooqi endocrinologista da Universidade de Cambridge, no Reino Unido e seus colegas, analisaram os genomas de 300 crianças extremamente obesas a procura de segmentos cromossômicos ausentes ou duplicados. Como a equipe relatou esta semana na edição on-line da revista Nature, o número de CNVs foi mais comum nas crianças obesas do que em um grupo de pessoas com peso normal. A maior prevalência destas foi a deleção de um segmento do cromossomo 16, que ocorreu em 1,7% das crianças obesas, contra apenas 0,027% dos controles. A mesma deleção também apareceu em um grupo separado de mais de 1000 crianças obesas. Três indivíduos com CNV herdaram esta característica dos pais que também eram obesos, disseram os pesquisadores. "Este estudo mostra pela primeira vez que CNVs podem causar uma doença metabólica, como obesidade", diz Farooqi.

O trabalho também oferece uma pista sobre o funcionamento. O segmento deletério do cromossomo 16 possui nove genes, incluindo um, conhecido como SH2B1, que os cientistas tinham apontado como um possível culpado na obesidade. Camundongos sem o gene tornam-se extremamente gordo e desenvolvem resistência à insulina, uma característica da obesidade e do diabetes em que as células se tornam resistentes à insulina. SH2B1 é um mediador-chave que permite que a insulina e a leptina, um hormônio que ajuda a definir o apetite, transmitam suas mensagens para as células.

"Dada a plausibilidade biológica, esta parece ser uma descoberta excitante", diz o geneticista Alan Herbert da Escola de Medicina da Universidade de Boston. No entanto, ele adverte, que é muito cedo para descartar a atuação dos outros oito genes do segmento excluído. A CNV no cromossomo 16 é rara, sendo uma de várias variantes que contribuem para a obesidade. "Existem muito mais variantes genéticas para serem encontrar." diz Farooqi

By Mitch Leslie ScienceNOW Daily News 7 December 2009


sábado, 12 de dezembro de 2009

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 01

01. A membrana plasmática da célula desempenha diversas funções, apresentando importantes especializações além de capacidade seletiva. Em relação à membrana plasmática, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(001) Estruturas lipídicas, ligadas à membrana citoplasmática com função de redução da coesão entre as células, são denominadas desmossomos.
(002) A passagem de soluto pela membrana plasmática contra um gradiente de concentração, com gasto de energia pela célula, é denominada transporte ativo.
(004) Osmose é a passagem de soluto de um meio hipertônico para um meio hipotônico por uma membrana permeável.
(008) As microvilosidades são especializações da membrana plasmática que aumentam a superfície de absorção celular, a exemplo das células de revestimento da mucosa intestinal.
(016) Na difusão facilitada, ocorre a passagem de soluto sem gasto de energia pela membrana, do meio mais concentrado para o menos concentrado com o auxílio de permeases presentes na membrana plasmática.
(032) Hemácias humanas, mergulhadas em meio hipotônico, apresentam redução de volume.

RESPOSTAS: 002+008+016 = 026

Desmossomos são filamentos protéicos com função de aumentar a coesão celular. O principal exemplo de transporte ativo é a bomba de sódio e potássio que ocorre nos neurônios. A osmose é a passagem da água do meio menos para o meio mais concentrado em soluto. Hemácias humanas em meio hipotônico apresentam aumento de volume, pois a água entra por osmose, tornando a célula túrgida.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 02

02. As proteínas, formadas pela união de aminoácidos, são componentes químicos fundamentais na fisiologia e na estrutura celular dos organismos. Em relação às proteínas, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(001) O colágeno é a proteína menos abundante no corpo humano apresentando forma globular como a maioria das proteínas.
(002) A ligação peptídica entre dois aminoácidos acontece pela reação do grupo carboxila de um aminoácido com o grupo amino de outro aminoácido.
(004) A ptialina, enzima produzida pelas glândulas salivares, atua na digestão de proteínas.
(008) A anemia falciforme, causada por fatores nutricionais, é atribuída ao rompimento das hemácias em função da desnaturação da molécula protéica de hemoglobina em decorrência do aumento da temperatura corporal.
(016) A insulina, envolvida no metabolismo da glicose, é um exemplo de hormônio protéico.
(032) As proteínas caseína e albumina são encontradas no leite e na clara do ovo, respectivamente.

RESPOSTAS: 002+016+032 = 050

O colágeno é alongado e muito abundante no corpo humano, estando presente na pele, tendões, ossos, e cartilagens. A ptialina ou amilase salivar quebra o amido em maltose na boca em pH neutro. A anemia falciforme é genética e origina hemácias em forma de foice. A anemia nutricional é chamada anemia ferropriva. A insulina produzida pela células das ilhotas de Langerhans no pâncreas é um exemplo de hormônio protéico.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 03

03. A galactosemia é uma doença que leva a problemas na metabolização da galactose e é causada por um gene autossômico recessivo. Para análise, considere “G” para o alelo dominante e “g” para o alelo recessivo. Nesse sentido, um homem heterozigoto (Gg) casou-se com uma mulher também heterozigota (Gg). Em relação às probabilidades de os descendentes desse casal apresentarem galactosemia, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(001) Espera-se que nenhum dos descendentes apresente galactosemia.
(002) Espera-se que 50 % dos descendentes sejam galactosêmicos.
(004) Espera-se que todos os descendentes apresentem galactosemia.
(008) Espera-se que 25 % dos descendentes sejam normais homozigotos (GG).
(016) Espera-se que 100 % dos descendentes sejam normais heterozigotos (Gg).
(032) Espera-se que 25 % dos descendentes apresentem galactosemia.

RESPOSTAS: 008+032 = 040

Do cruzamento de dois heterozigotos, espera-se 1/4 GG; 2/4 Gg e 1/4 gg

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 04

04. Em relação às seguintes estruturas celulares:

I. Mitocôndrias
II. Lisossomos
III. Peroxissomos
IV. Cloroplastos
V. Complexo Golgiense
VI. Ribossomos

Assinale a(s) proposição(ões) correta(s).
(001) A estrutura II está relacionada com a heterofagia e com a autofagia celular.
(002) A estrutura VI està relacionada à síntese protéica.
(004) A doença Silicose e a doença de Tay-Sachs estão relacionadas à estrutura I.
(008) A estrutura V é abundante em células secretoras como as células das glândulas que produzem enzimas digestivas.
(016) O processo de fotossíntese está relacionado à estrutura IV.
(032) A estrutura III está relacionada ao transporte de substâncias e à síntese de esteróides na célula.

RESPOSTAS: 001+002+008+016 = 027

Os lisossomos realizam a digestão intracelular heterofágica (pinocitose ou fagocitose) e autofágica, como organelas que precisam ser renovadas. Ribossomos = Síntese de proteínas. A silicose e a doença de Tay-Sachs estão relacionadas com os lisossomos e não com as mitocôndrias. Toda célula secretora precisa ter um complexo de Golgi bem desenvolvido para empacotar as enzimas e exportá-las. Cloroplasto = clorofila = fotossíntese. Os peroxissomos estão envolvidos com a degradação de H2O2 e não com transporte de substâncias.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 05

05. Considere os seguintes organismos: anfioxo (animal A); galinha (animal B); jacaré (animal C); aranha (animal D); sapo (animal E) e cão (animal F). Em função da quantidade e da distribuição do vitelo nos óvulos, é correto afirmar:

(001) O animal C apresenta óvulo do tipo alécito.
(002) O animal B apresenta óvulo do tipo telolécito.
(004) O animal A apresenta óvulo do tipo heterolécito.
(008) O animal D apresenta óvulo do tipo centrolécito.
(016) O animal E apresenta óvulo do tipo heterolécito.
(032) O animal F apresenta óvulo do tipo telolécito.

RESPOSTAS: 002+008+016 = 026

Anfioxo A - alécito
Galinha B - Telolécito
Jacaré C - Telolécito
Aranha D - Centrolécito
Sapo E - Heterolécito
Cão F - Alécito

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 06

06. Em relação às doenças parasitárias que afetam o homem, é correto afirmar:

(001) O nematódeo Necator americanus é causador da oxiurose no homem.
(002) O popular “bicho-geográfico” é causado por larvas do nematódeo Ancylostoma duodenale que penetram na pele humana causando intensa coceira e deixam linhas sobre o corpo semelhantes a traçados de mapas.
(004) O trematódeo Schistosoma mansoni provoca no homem a esquistossomose, caracterizada por aumento abdominal, popularmente conhecido como “barriga d’água”.
(008) No Brasil, o nematódeo Wuchereria bancrofti causa a filariose doença também conhecida como “elefantíase”.
(016) No caso da teníase no homem, o bovino é hospedeiro intermediário da Taenia solium, e o suíno é hospedeiro intermediário da Taenia saginata.
(032) A doença ancilostomíase, conhecida por “amarelão”, é causada pelo nematódeo Ascaris lumbricoides.

RESPOSTAS: 004+008 = 012

O causador da oxiurose em humanos é o Enterobius vermucularis. O "bicho-geográfico" é causado pela larva dos parasitas Ancylostoma brasiliense e A. caninum, que habitam gatos e cães. O bovino é o hospedeiro intermediário da Taenia saginata e o suíno da Taenia solium. O amarelão é causado pelo Necator americanus ou Ancylostoma duodenale.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 07

07. Observe a figura abaixo que representa um tecido epitelial glandular, a seguir analise as proposições e assinale a(s) correta(s).



(001) A glândula salivar é um exemplo de glândula como ilustrado em C.
(002) Para formação das glândulas pelo tecido epitelial, ocorre a proliferação e a penetração das células do tecido epitelial no tecido conjuntivo, como ilustrado em A.
(004) O produto de secreção da glândula, ilustrado em C, é liberado diretamente na circulação sanguínea.
(008) A glândula tireóide é um exemplo de glândula como ilustrado em B.
(016) O pâncreas, por apresentar atividade endócrina e exócrina, é considerado uma glândula mista.
(032) As glândulas exócrinas mantêm sua conexão com o epitélio que as originou, e seus produtos são eliminados para o meio exterior pelo ducto até a superfície do corpo, ou até uma cavidade interna de um órgão, como ilustrado em B.

RESPOSTAS: 002+004+016+032 = 054

A glândula salivar é exócrina e não endócrina como ilustra em C. A proliferação do tecido epitelial de revestimento origina o tecido epitelial glandular. Toda glândula endocrina libera sua secreção na corrente sanguínea. A tireóide é uma glândula endócrina folicular, e não exócrina como ilustra B. O pâncreas possui região endócrina (Ilhotas de Langerhans) e região exócrina (acinos pancreáticos), que produzem respectivamente hormônios e suco pancreático. Toda glândula exócrina secreta por um ducto.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 08

08. Leia o trecho a seguir, extraído e adaptado do Informativo Notícias da Onça-pintada, do Instituto Onça-pintada. "No Rio Araguaia, os pesquisadores têm observado botos acuando peixes em águas rasas com parte de seu corpo para fora da água. É durante esse momento, de acordo com os pescadores locais, que as onças-pintadas pulam, mordem e arrastam os botos para fora do rio. Eles dizem ter visto a onça sobre o boto se alimentando da carcaça ao longo do dia, e defendendo-a dos jacarés.” Sobre os animais que participam do episódio acima, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(001) A onça-pintada, o boto-rosa e o jacaré são animais típicos encontrados no Pantanal sul-matogrossense.
(002) Apesar de ser um animal aquático, o boto-rosa apresenta, como órgão responsável pelas trocas gasosas, o pulmão.
(004) Na cadeia trófica, quando a onça-pintada preda o boto-rosa, ela é um consumidor de terceira ordem ou de qualquer nível acima.
(008) O boto-rosa, por ser um animal aquático, é ovíparo, como o jacaré e a maioria dos peixes de água-doce.
(016) O boto-rosa e a onça-pintada são mamíferos, e as fêmeas alimentam seus filhotes com leite
produzido por glândulas mamárias.
(032) A interação entre a onça-pintada e o jacaré, na disputa pela carcaça do boto-rosa, é benéfica para ambos e é denominada amensalismo.

RESPOSTAS: 002+004+016 = 022

O boto-rosa é encontrado nos rios da região Amazônica. Como todo mamífero aquático o boto possui pulmões. Como o boto alimenta-se de peixes, ele no mínimo será consumidor secundário, consequentemente a onça-pintada se encaixa em consumidor terciario ou maior. O boto é vivíparo. As glândulas mamárias que possibilitam a produção do leite nos mamíferos. A onça e o jacaré realizam uma competição intraespecífica pela carcaça do boto-rosa.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 09

09. Leia o texto abaixo e, a seguir, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

"Um sapo sem pulmão acaba de ser descoberto na ilha de Bornéu, na Indonésia. Trata-se do primeiro caso confirmado do tipo e, segundo os cientistas responsáveis pelo estudo, a espécie aquática Barbourula kalimantanensis aparentemente respira através da pele. (...) Duas populações da espécie, sobre a qual havia relatos, foram encontradas durante recente expedição dos pesquisadores. (...) De todos os tetrápodes, vertebrados terrestres com quatro membros, sabe-se que a ausência de pulmões ocorre apenas em anfíbios. São conhecidas algumas espécies de salamandras sem o órgão, além de uma de cobra-cega. Para os autores do estudo, a descoberta em uma rara espécie de sapo em Bornéu reforça a idéia de que pulmões sejam uma característica maleável nos anfíbios. Como a B. kalimantanensis vive em água corrente e fria, a ausência de pulmões poderia ser uma adaptação para uma combinação de fatores, como um meio com mais oxigênio, o baixo metabolismo do animal, o achatamento do corpo que aumenta a área superfícial da pele e a preferência por afundar em relação a boiar." Fonte: Agência FAPESP (http://www.agencia.fapesp.br/materia/8679/divulgacao-cientifica/sapo-sem-pulmao--descoberto.htm)

(001) Os sapos, as salamandras e as cobras-cegas são anfíbios.
(002) Além dos anfíbios, minhocas também possuem respiração cutânea.
(004) Apesar do baixo metabolismo, a B. kalimantanensis é animal endotérmico, como todos os anfíbios.
(008) Por ter somente respiração cutânea, a B. kalimantanensis precisa manter a pele sempre úmida. Por essa razão, sua dependência de viver no meio aquático é maior do que a dos sapos que possuem pulmões.
(016) Nos anfíbios, quando os pulmões estão ausentes, há apenas a circulação do sangue venoso.
(032) O baixo metabolismo está associado com rápida digestão do alimento e alta taxa de natalidade.

RESPOSTAS: 001+002+008 = 011

Sapos, salamandras e cobras-cegas são anfíbios, pertencentes respectivamente às ordens Anura, Uroleda e Gymnophiona. As minhocas (oligoquetas) também possuem respiração cutânea, por isso sua pele deve se manter úmida. Os únicos endotermicos são aves e mamíferos. O sangue que passam pela epiderme captam oxigênio tornando-se sangue arterial. Metabolismo baixo implica em digestão e reprodução em ritmo lento.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 10

10. O gráfico abaixo mostra o padrão de crescimento corporal de dois organismos.




Analisando o gráfico acima, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(001) Os dois animais apresentam o mesmo padrão de crescimento.
(002) O crescimento corporal da baleia pode ser representado pela linha A.
(004) O crescimento corporal do caranguejo pode ser representado pela linha B.
(008) A linha A representa o crescimento corporal de um animal que possui um exoesqueleto.
(016) A linha B representa o crescimento corporal de um animal com coluna vertebral.
(032) O crescimento corporal no animal, representado pela linha A, é contínuo, enquanto, no animal do linha B, há períodos sem crescimento.

RESPOSTA: 002+004+032 = 038

Clássico gráfico mostrando o crescimento de um animal com exoesqueleto na linha B. como por exemplo um caranguejo, que sofre as mudas ou ecdises. A linha A demonstra o padrão de crescimento da maioria dos animais como a baleia por exemplo.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 11

11. A figura abaixo, extraída e adaptada de www.educacaopublica.rj.gov.br, demonstra o relacionamento filogenético de alguns grupos de animais. Com base nessa figura, analise as proposições a seguir e assinale a(s) correta(s).



(001) A estrela-do-mar tem um ancestral comum com os Chordata, representado na figura pela letra C.
(002) Todos os invertebrados estão reunidos num único agrupamento.
(004) O papagaio é mais próximo, filogeneticamente, do rato do que do macaco.
(008) A papa-mosca é mais próxima, filogeneticamente, da borboleta do que do caramujo.
(016) Todos os organismos possuem um ancestral comum, representado na figura pela letra A.
(032) O ancestral comum dos Protostomata é representado na figura pela letra G.

RESPOSTAS: 001+008+016 = 025

Os equinodermas possuem um mesmo ancestral deuterostomado que os cordados. Os equinodermas são invertebrados e não estão no mesmo grupo que o restante. O rato e o macaco são monofiléticos e a posição do rato e do papagaio como mostrado na figura não é sinal de proximidade. A mariposa e a papa-moscas são monofiléticas, e portanto são mais próximas do que a papa-moscas com o caramujo, que são parafiléticos. O ancestral comum dos protostomados é o B e não o G.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 12

12. "Os olhos de um crustáceo marinho poderão inspirar o desenvolvimento de futuros aparelhos leitores de discos digitais, como o DVD. O camarão mantis, Odontodactylus scyllarus, é encontrado na Grande Barreira de Coral, na Austrália, e tem o sistema de visão mais complexo de que se tem notícia. Os indivíduos da espécie são capazes de enxergar 12 cores – o homem vê em apenas três – e podem distinguir entre formas diferentes de luz polarizada. Não seria o primeiro crustáceo a inspirar produtos do tipo. Em 2006, um componente presente no olho da lagosta inspirou o desenho de um detector de raio X para um telescópio europeu (...)." (Disponível em: www.agencia.fapesp.br/materia/11268/divulgacao-cientifica/dvd-inspirado-em-olhode- camarao.htm, adaptado)

Sobre os olhos dos crustáceos, como camarões e lagostas, assinale a(s) proposição(ões) correta(s):

(001) Os olhos são estruturas sensoriais que permitem detectar luz e transformar essa percepção em impulsos nervosos.
(002) O tipo de olho encontrado nos crustáceos é denominado olho composto.
(004) Lulas e planárias são animais que possuem olhos compostos.
(008) O olho composto é formado por unidades ópticas denominadas omatídios.
(016) O olho composto possui uma retina com funções semelhantes às do olho humano.
(032) O olho composto do camarão mantis percebe uma grande quantidade de cores, mas não é capaz de formar imagens.

RESPOSTAS: 002+008 = 010

Os olhos compostos, são formados por omatídios, são capazes de formar imagens em mosaico, e não apenas detectar luz. Planárias possuem ocelos.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 13

13. O Cerrado, que é o segundo maior Bioma brasileiro, ocupa aproximadamente 2 milhões de hectares e apresenta grande biodiversidade, devido principalmente à influência de outros biomas com os quais mantém contato (Floresta Amazônica, Floresta Atlântica, Caatinga, Matas Secas e Pantanal). Entretanto, o Cerrado vem sofrendo com grandes desmatamentos desde a década de 70, uma vez que não é protegido por lei, e sua área plana fez com que fosse considerado o local ideal para o desenvolvimento de grandes culturas e pastagens. Assim, o Cerrado sempre foi visto como uma fronteira agropastoril, onde, através da correção do solo ácido, tudo se produz.

Com relação ao aspecto geral da vegetação do Cerrado, é correto afirmar:

(001) Apresenta árvores altas, de tronco retilínio e com casca lisa.
(002) Apresenta árvores baixas, com tronco retorcido e casca grossa como proteção ao fogo.
(004) As folhas são grandes e membranáceas, para realizar maior quantidade de fotossíntese.
(008) As raízes são superficiais para facilitar a sua fixação.
(016) As folhas são pequenas e coriáceas, para evitar a transpiração excessiva.
(032) As raízes são profundas para facilitar a absorção de água.

RESPOSTAS: 002+016+032 = 50

Caracterização típica de plantas de Cerrado: árvores de médio porte, com tronco retorcido, casca grossa, folhas coriáceas e pilosas, raízes profundas. As plantas possuem adaptações a queimadas e secas. Apesar de podermos encontrar árvores altas, de tronco retilíniio e casca lisa, como a Albizia niopoides (Profº Danilo Neves) , a questão pede as características peculiares da formação cerrado.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 14

14. Alguns estudantes elaboraram o seguinte experimento:

Dois ramos de plantas semelhantes foram colocados em dois tubos de ensaio (A e B) contendo a mesma quantidade de água e, posteriormente, esses tubos foram vedados para evitar a evaporação. A planta do tubo A foi mantida intacta enquanto que a planta do tubo B teve suas folhas completamente recobertas com uma camada de vaselina. O esquema abaixo mostra o nível da água no início (Ni) e no final (Nf) do experimento.

Com relação a esse experimento é correto afirmar:

(001) O nível de água final foi menor no tubo A devido ao funcionamento normal dos estômatos da epiderme foliar.
(002) No tubo A, o processo de transpiração e as trocas gasosas são realizados normalmente.
(004) No tubo B, não está ocorrendo o processo de transpiração e de trocas gasosas.
(008) O nível de água final foi diferente nos dois tubos, devido ao funcionamento normal dos estômatos da epiderme foliar no tubo B, possibilitando a captação de gás carbônico para a realização da fotossíntese e, consequentemente, economizando água do sistema.
(016) O nível de água final foi maior no tubo B, devido ao funcionamento limitado dos estômatos de sua epiderme foliar que, recoberta pela vaselina, impossibilita a realização plena de troca gasosa e economiza água do sistema.
(032) O nível final da água foi diferente nos dois tubos devido ao processo de evaporação.

RESPOSTAS: 001+002+016 = 019


O experimento interfere no funcionamento dos estômatos, que regulam a perda de água no estado de vapor (transpiração) e também a troca gasosa.
Em A as folhas transpiram normalmente, reduzindo o volume de água no tubo. Em B, a vetação causada pela vaselina, impede a transpiração normal e o volume de água não diminui tanto.
Não houve evaporação, já que os tubos estavam vedados, e a água poderia sair apenas pelos estômatos, portanto ocorrendo transpiração.

Vestibular UFMS 2010 - Biologia - QUESTÃO 15

15. O Brasil já adotou várias medidas alternativas com relação à demanda energética para tentar diminuir sua dependência do petróleo (fonte energética não renovável). Entre elas, pode ser citado o uso da biomassa vegetal, seja como biocombustível, com a utilização principalmente da cana-de-açúcar para a produção do álcool, seja como fonte de calor. Para o funcionamento de indústrias siderúrgicas, são necessárias fontes que forneçam uma grande quantidade de energia, e esta é encontrada no carvão vegetal. Com relação à produção do carvão vegetal no Brasil, é correto afirmar:

(001) O carvão vegetal é produzido pela queima da madeira.
(002) A produção do carvão vegetal, muitas vezes é realizada em pequenas carvoarias, e o Brasil atualmente é o maior produtor de carvão vegetal.
(004) A demanda por matéria-prima para a produção do carvão vegetal foi solucionada completamente com a utilização de áreas de reflorestamento.
(008) O eucalipto é uma espécie muito utilizada para a produção de carvão vegetal, a monocultura dessa espécie está aumentando em todo o País.
(016) A vantagem do eucalipto, para a produção de carvão vegetal, é seu lento desenvolvimento e grande biomassa, além de não agredir o ambiente, pois geralmente as monoculturas são implantadas em áreas já degradadas.
(032) O eucalipto vem sendo utilizado como carvão vegetal há várias décadas, principalmente para a fabricação de ferro-gusa e hoje sua área de cultivo continua em crescimento.

RESPOSTAS: 001+002+008+032 = 043

O carvão vegetal provêm da queima da madeira, que geralmente é de origem nativa.
No interior do Brasil existem milhares de carvoarias clandestinas, localizadas nas próprias fazendas que extraem madeira ilegalmente.
O uso do eucalipto para produção de carvão vem crescendo nos ultimos anos, principalmente o interesse pelo plantio dessa cultura, pois seu desenvolvimento é rápido comparado a outras espécies.
A fabricação do ferro-gusa possui uma demanda muito elevada de carvão vegetal, e muitas siderúrgicas possuiam seus próprios eucaliptais.